CULTURA

CULTURA

Foto: divulgação

Nos próximos dias 19 e 20 de setembro, a 2ª edição do Festival A Vida no Centro levará um pouco da história, da cultura e da riqueza arquitetônica e turística do centro de São Paulo para a casa das pessoas, em qualquer lugar do mundo. O evento, totalmente online, contará com atrações que se relacionam com locais icônicos da cidade como o Edifício Matarazzo, Edifício Martinelli, Minhocão e Praça Roosevelt. Na programação, estão aulas de dança, yoga e de gastronomia, espetáculos de teatro, debates sobre as mudanças no modo de vida urbano no pós-pandemia e uma apresentação do cantor e compositor Chico César.

Idealizado e realizado pela plataforma A Vida no Centro e pela agência CoPlayers Comunicação, o Festival A Vida no Centro estreou no calendário de eventos de São Paulo, em 2019, com o propósito de reconectar a região com a cidade, incentivando a visitação da população e dos turistas.

O evento abre no sábado (19), às 11h, com uma aula de balé para todos no Pátio do Colégio e tours guiados pelo Edifício Matarazzo. Na parte da tarde, o Diálogos A Vida no Centro faz uma discussão sobre o futuro das cidades no pós-pandemia.

A programação do primeiro dia contará ainda com uma aula de yoga no mirante do Martinelli, seguido de show acústico do músico Chico César.

 Entre as atrações de domingo, estão uma aula de funcional cadeirante e o espetáculo Esparrama na Janela, encenado pelo grupo Esparrama numa janela no Minhocão,  especialmente para o público mirim, seguido de um bate-papo com os artistas, pelas redes sociais. A efervescente cena gastronômica da região também ganhará destaque, com dicas de receitas de duas das casas mais tradicionais da metrópole.

Luiz Campiglia, chef e proprietário do emblemático Paribar, mostrará o passo a passo de um dos pratos que estará no novo cardápio do seu restaurante. Já a empresária Lilian Varella, fundadora do  Drosophyla vai preparar um dos drinques clássicos do bar.

A premiada companhia teatral paulistana Os Satyros, primeiro grupo de teatro brasileiro a conceber espetáculos para as plataformas virtuais, fará duas apresentações gratuitas, no sábado, às 21h, a peça A Arte de Encarar o Medo será seguida de papo com o elenco e, no domingo, o espetáculo Todos os Sonhos do Mundo, com Ivam Cabral, encerra a programação.

O conteúdo pode ser acessado no portal www.avidanocentro.com.br

 @avidanocentro.spfacebook/avidanocentroyoutube/avidanocentro

CULTURA
Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR

Foto: divulgação

Em cumprimento à determinação do Plano de Convivência com a Covid-19 do Governo de Pernambuco, que autorizou a reabertura dos museus na capital pernambucana, o Paço do Frevo foi o primeiro equipamento cultural mantido pela Prefeitura do Recife a retomar atividades. Seguindo os protocolos, o Paço voltou a receber visitantes com expedientes presenciais somente de quinta a domingo.

A capacidade de atendimento ao público também será reduzida a partir da suspensão de eventos presenciais, da sinalização do prédio com marcação de distanciamento social e da diminuição da capacidade dos espaços expositivos. Entre as medidas adotadas para garantir a segurança sanitária das instalações, estão ainda a disposição de totens de álcool em gel, a medição da temperatura dos visitantes na entrada e a venda de ingressos online pelo site do museu.

Os protocolos da reabertura do Paço incluem:

  • Implantação de horário reduzido de atendimento ao público: qui e sex, 10h às 16h; sáb e dom, 11h às 17h
  • Uso obrigatório de máscaras que cubram nariz e boca para equipe e visitantes
  • Realização de ciclos de formação sobre protocolos sanitários
  • Limitação de acesso: 50 pessoas por hora
  • Implantação de sistema de venda de ingressos online com horário programado
  • Instalação de tapetes sanitizantes e anti umidade
  • Marcação no piso do distanciamento de segurança
  • Realização de triagem com termômetro infravermelho
  • Instalação de TV informativa geral
  • Aquisição de EPIs para colaboradores
  • Aquisição e instalação de ventiladores
  • Aquisição de totens de álcool gel
  • Readequação de fluxo de circulação de visitantes (escadas, entrada e saída)
  • Suspensão das atividades artísticas
  • Readequação layout do café para 50% da capacidade
  • Marcação nas exposições indicando distanciamento de segurança
  • Implantação de agendamento de visitas e pesquisas no Centro de Documentação
  • Uso controlado do elevador – máximo 4 pessoas por vez

CULTURA

Foto: divulgação

A partir de hoje (10), o Shopping Guararapes recebe a Livraria Eu Amo Ler, projeto temporário que acontece há mais de 10 anos em todo Brasil, levando escritores e suas obras para os mais variados públicos, de criança a adultos. Autores de clássicos da literatura brasileira como José de Alencar e Monteiro Lobato, compartilham as prateleiras com clássicos mundiais como o Diário de Anne Frank e Anne com “E”, este último ganhou versão em seriado na Netflix.

São mais de cinco mil livros e 300 títulos, com valores para todos os bolsos, oscilando de R$ 5,00 a R$ 60,00.

A livraria temporária está localizada ao lado das Lojas Americanas e funcionará por um mês no mall. “O objetivo da Livraria Eu Amo Ler é democratizar o acesso à leitura, levando cultura e conhecimento à sociedade, sem distinção social e etária. Buscamos conteúdo diversificado e de qualidade que agrade a todos os gêneros”, explica o idealizador Jorge Viana, que ainda ressalta o cuidado na seleção dos livros infantis.

CULTURA

Foto: Luiz Fabiano

O artista pernambucano Bruno Lima estende o projeto fotográfico “Se Essa Rua Fosse Minha” e dispõe as obras no Shopping RioMar Recife (Pátio de Eventos II) até o dia 20 de setembro das 10h às 22h.

A  nova exposição, que teve inauguração no final de agosto na galeria de arte Bruno Lima Colletcion, é uma homenagem à Rua do Bom Jesus, que recentemente foi nomeada pela “Architectural Digest”, renomada revista americana de arquitetura internacional, como a terceira rua mais bonita do mundo, sendo a única brasileira da lista. 

CULTURA

 Foto: divulgação

Tramas de amor e tramoias do cotidiano derramam-se sobre sonoridades dançantes, simultaneamente criativas e eruditas, nas faixas de Dança da Noite, álbum do compositor e multi-instrumentista Zé Cafofinho, que está disponível desde o dia 21 de agosto de 2020 nas plataformas digitais. 

Dança da Noite, faixa que intitula a obra, foi criada em parceria com Arnaldo Antunes, em uma composição marcante e atemporal. Também deste álbum,  a música Xirley ganhou repercussão nacional ao ser regravada pela cantora paraense Gaby Amarantos. Destaca-se ainda a participação, na bem-humorada faixa Bigode, do maestro Rildo Hora, produtor musical de nomes como Martinho da Vila e Beth Carvalho. 

O produtor Entropia, integrante da Mamba Negra e filho do músico China, assina o remix 2020 da faixa-título; enquanto o paraense Waldo Squash, um dos criadores do eletromelody e líder da Gang do Eletro, ficou responsável pelo remix de Xirley. O álbum foi integralmente gravado em home studio e mixado por Berna Vieira. 

Para ouvir:

Plataformas de streaming: http://tratore.ffm.to/dancadanoite

Redes sociais:

Instagram: www.instagram.com/ze_cafofinho_

Facebook: www.facebook.com/zecafofinhooficial/

YouTube: www.youtube.com/channel/UCGPtKZcEPnQhJUUBHBIgtAg

CULTURA

Foto: divulgação

O cantor Alceu Valença faz aniversário no dia 1º de julho, mas, no dia 29, o canal Curta! comemora a data com a exibição de “Alceu — Na Embolada do Tempo”, documentário de Paola Vieira (de “As Incríveis Artimanhas da Nuvem Cigana”) sobre o artista.

O filme viaja pelos mais de 45 anos de carreira do cantor e compositor pernambucano, lembrando a sua infância na pequena São Bento do Una e os desafios do início da sua trajetória como músico profissional até chegar ao estrelato. O enredo explora também as influências da cultura popular na obra do artista, além de suas reflexões sobre diversos assuntos, como seu próprio passado, sua ligação com a música e as mazelas do Brasil e do mundo.

O documentário acompanha de perto a vitalidade e o ritmo acelerado de Alceu, viajando em turnê por diversas cidades, durante os festejos de São João de 2018. Produzido pela TVZero, o longa foi viabilizado pelo Curta! através do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). A exibição é na Segunda da Música, 29/06, às 22h25.

CULTURA

Foto: divulgação

A Direção do Cine PE, com seu comprometimento diante das orientações das autoridades sanitárias, já havia decidido por adiar o referido festival de cinema, inicialmente marcado para o período de 25 a 31 de maio. Em nota anterior, foi proposto como período de realização a semana de 24 a 30 de agosto. Uma reserva ainda cabível de alterações, caso alguma orientação governamental, relacionada com a retomada da realização de eventos com público presencial, indicasse algum impedimento.

Diante de novas considerações que puderam ser extraídas da crise atual, o Cine PE 2020 levará em conta algumas tendências observadas, no que tange aos aspectos da mobilização de público e suas relações possíveis com novos hábitos e costumes. Assim, por força da necessidade de adaptação, tais esforços consideram a revisão de critérios que alteram o estilo convencional do que seja um modelo de festival de cinema, numa adequação às tendências comportamentais do momento. Desse modo, o Cine PE se mostra atento às inovações que abraçam as ações virtuais, em total respeito às preferências de quem ainda não se sente seguro em participar na forma tradicional das relações sociais. Sendo assim, a partir daquele período de agosto, deveremos ter programações variadas nos meios propostos e em datas anunciadas.

Diante disso, antecipamos que o projeto irá inovar nos seguintes pontos:

1) Plataformas de exibições veiculadas por TV e redes sociais, que serão oportunamente divulgadas; 

2) Exibições abertas, no tradicional modelo autocine ou drive-in, dentro de regras criteriosas de segurança;

3) Programações dos seminários, das oficinas/workshops e do mercado (subprojeto TELA), num mix de modelo menos presencial e mais virtual. 

Em nota posterior, alguns esclarecimentos adicionais, que darão substância a inovação dessa programação, serão difundidos com os mínimos detalhes. 

CULTURA

Foto: divulgação

Desta terça (03) até o domingo (08), o Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães – MAMAM estará de portas abertas para o público acompanhar a montagem de uma nova exposição no local. Funcionando como um atelier aberto para o projeto “Completely Knocked Down – Recife Bremen Connection”, esta montagem antecede a abertura oficial da exposição no dia 18 de março.

Ao todo são nove artistas de Bremen e do Recife que irão construir coletivamente obras de arte a partir de peças de artistas locais e fragmentos de objetos que estão vindo em um container. Os artistas convidados são Paulo Bruscky, Sílvio Hansen, Márcio Almeida, Christian Haake, Wolfgang Hainke, Tobias Heine, Maria do Carmo Nino e os idealizadores do projeto Francisco Valença Vaz e Rebekka Kronsteiner. O horário de visitação para o atelier é das 14h às 17h a partir de hoje até domingo (08).

CULTURA

Foto: divulgação


O amor, a afetividade, a paz e o desejo são sentimentos essenciais às mudanças da sociedade. Nos momentos de transformação, se conectam para inspirar movimentos de resistência à opressão e à violência por meio da cultura e da arte. E é isso que “A Necessidade do Amor” apresenta, a partir do dia 14 de janeiro, na Arte Plural Galeria (APG).

A mostra tem curadoria de Júlio Cavani e reúne trabalhos de doze artistas que trabalham no Recife e em Olinda. Três deles, especialmente convidados para a exposição: Fefa Lins, Marcelo Silveira e André Nobrega. Os outros já integram o acervo – Christina Machado, Valéria Rey Soto, Alcione Ferreira, José Barbosa, Priscila Buhr, Luciano Pinheiro, Rinaldo Silva, Vacilante e Antônio Mendes.


Esta exposição abre a temporada 2020 da APG e fica em cartaz até o dia 14 de fevereiro, com entrada gratuita na Galeria que fica na Rua da Moeda, 140 – Bairro do Recife. De terça a sexta-feira, das 13h às 19h, e aos sábados das 14h às 18h.Mais informações: (81) 3424-4431.

CULTURA

Foto: divulgação

O Instituto Ricardo Brennand e o Consulado Geral do Japão no Recife, em parceria com a Fundação Japão, promovem a exposição itinerante “O Poder do Shojo Mangá”, que ficará em cartaz até 7 de fevereiro, na pinacoteca do Instituto Ricardo Brennand, na Várzea.

A mostra contará com 57 obras originais e reproduções, em alta qualidade, desenhadas por 13 renomados desenhistas de mangá, entre eles, Osamu Tezuka e Reiji Matsumoto, que contribuíram para o desenvolvimento do shojo mangá desde década 60. 

Além da exposição também haverá atividades paralelas, que acontecerão nos finais de semana, como a exibição do filme “POP IN Q”, oficinas de desenho e origami, apresentação de Kendo e muito mais. Será uma programação intensa para toda a família nas férias de janeiro! Mais informações pelo (81) 2121-0352 / 2121.0365.

POR MARISTELA BELTRÃO

A Revista Club foi a primeira revista social de Recife, lançada em 1999. Em 2008, seguindo a tendência global, a Revista Club impressa foi transformada em virtual, que volta a circular depois de uma breve parada, sempre com Maristela Beltrão no comando.

LER MAIS

RECEBA NOVIDADES

Cadastre-se e fique por dentro de tudo que rola na sociedade pernambucana.

Facebook

INSTAGRAM